Autor(es):Yara dos Santos Costa Passos, Raíssa Caroline Brito Costa
Ano:2016
Comitê:Comitê Dança em Configurações Estéticas
Título:CORPO NA DANÇA AÉREA/VERTICAL: RESSIGNIFICAÇÕES OU REPETIÇÃO DE PADRÕES ESTÉTICOS NA DANÇA?
BODY IN DANCE AERIAL / VERTICAL: RESIGNIFICATIONS OR PATTERNS REPEAT AESTHETIC IN DANCE?
Resumo: 
 A experiência com a dança criada nos paredões de prédios, copas de árvores, urdimento dos teatros, por meio de projetos particulares e/ou institucionais, atuando em pesquisas orientadoras de intérpretes, criadores e jovens pesquisadores, e, sendo provocadas pela biopolítica na américa latina, pretendemos neste ensaio desenvolver reflexões acerca das consequências na formação dos seus praticantes, enquanto artistas críticos e políticos da dança realizada por meio de suportes verticais ou circenses, aqui denominada como Dança Aérea/Vertical. Os objetivos nos projetos realizados, sempre almejaram a ressignificação do suporte em si, vislumbrando aquele ambiente como espaço potente de novas criações em dança, como uma possibilidade de deslocar o criador e intérprete da dança aérea/vertical para outros caminhos que não fosse restrita a uma dança que primasse apenas pelo “olha o que eu sei fazer!”. Mas, num sistema de educação onde o corpo ainda luta contra a dualidade corpo/mente, natureza/cultura, viciado em leituras e imagens distorcidas da vida real, é possível o desejado deslocamento, utilizando uma dança que conduz o seu intérprete-criador para esse deslumbramento de acrobacias e manobras no ar? As referências contemplam os estudos do corpo político de Agamben (2015) e Katz, Greiner (2015).
 

The experience with the dance created in the walls of buildings, treetops, warp theaters, through private and / or institutional projects, working in guiding research performers, creators and young researchers, and being caused by biopolitics latin america, we intend to develop this essay reflections on the consequences for the training of its practitioners, while critics and political artists of dance performed by vertical or media circus, here referred to as Air dance / Vertical. The objectives of the projects undertaken, always longed to support the reframing itself, seeing that environment as a powerful space for new creations in dance as a possibility to move the creator and performer of the air / vertical dance to other paths that were not restricted to a dance that excels only by the "look what I can do." But in an education system the body still fighting duality body / mind, nature / culture, addicted to reading and distorted images of real life, the can desired offset using a dance that leads his interpreter-creator for that dazzling stunts and tricks in the air? References include studies of the body politic of Agamben (2015) and Katz, Greiner (2015).
Fazer download