Autor(es):Beatriz Adeodato Alves de Souza
Ano:2018
Comitê:Comitê Interfaces da Dança e Estados do Corpo
Título:Fios que atam: a metáfora do tecido conjuntivo como condutora de um pensar-fazer artístico investigativo em dança
Resumo: 
 Este artigo pretende compartilhar questões que vêm compondo o processo de desenvolvimento da minha pesquisa de Doutorado em Artes Cênicas (PPGAC/UFBA). Sendo um estudocom/em dança, suas reflexões teóricas são tecidas a partir e no decorrer da prática e, por isso, está articulado metodologicamente com a Prática como Pesquisa. De uma proposta de estudo performativo do nosso tecido conjuntivo, este tecido corporal de conexão, responsável pela importante relação estabilidade e maleabilidade nas mais diversas partes do corpo, irei aqui levantar questões que, tanto me conduzem por uma investigação técnico criativa em Dança, quanto me colocam em articulação com a filosofia de Edgar Morin e seu conceito de complexidade. Performar-pensar a complexidade é um convite a questionar o sentido de pesquisa em arte e conectar fios e elos perdidos.
 

The present article is intended to serve as an instrument for sharing partial findings of the doctoral research of the author’s. Being a study with/in dance, its theoretical reflections emerge and together with the practical experimentations, adopting Practice as Research as its methodology. a performative study of our connective tissue, this body tissue responsible for transmitting tension through the body, as well as keeping balance between stability and malleability, questions will be raised focusing in two main directions: the conducting ofa technical and creative investigation in Dance and the building of bridges with Edgar Morin’s philosophy and his concept of complexity. To perform-think complexity is an invitation to question the meaning of research in the arts as much as to connect lost links of a chain.
Fazer download